Consultoria

Revista Informédica, 1(2), 15, 1993


Formei-me recentemente em Medicina, e pretendo me especializar em Informática Médica. Entretanto, meu co-nhecimento sobre Informática ainda é bastante elementar. Tenho um microcomputador PC 486, e sei utilizar os sistemas DOS e Windows 3.1. bem como diversos programas aplicativos (processador de textos, bancos de dados, etc.). Tenho, também, algumas noções de programação na linguagem dBASE III. Gostaria que me indicasse qual o melhor caminho a seguir (cursos, publicações, que linguagens aprender, etc.). Alexandre G. Martins (Marília, SP).
O melhor caminho a seguir depende muito de que tipo de especialista você pretende ser. Existem duas alternativas: a primeira, mais adequada se você pretende se dedicar à carreira universitária, é seguir um curso de pós-graduação. A segunda alternativa, que consiste em fazer uma residência ou curso de especialização, é mais útil quando se deseja trabalhar no desenvolvimento de soluções práticas, dentro de um hospital ou outra organização clínica qualquer, ou quando se deseja partir para a iniciativa privada (consultoria, firma de software, etc.). Em ambos os casos, entretanto, você deverá, antes, dar mais atenção à sua formação básica em Informática, que é essencial. Nesse caso, recomendamos que faça um curso curto de Análise de Sistemas, à noite, ou em tempo parcial, em uma boa universidade ou escola de computação. Existem vários que preenchem esses requisitos, como os da PUC de Campinas, do SENAC, em várias cidades brasileiras, etc. O curso dará os fundamentos e a disciplina intelectual necessários para quem trabalha nesta área, além de ensinar diversas linguagens de programação. Em geral, a duração desses cursos é de um a dois anos. Outro elemento fundamental, você já tem: um computador. Boa parte dos conhecimentos em Informática Médica podem ser adquiridos de forma autodidata, portanto o acesso contínuo a um bom computador e softwares facilita muito. Finalmente, você deve procurar bons grupos dedicados à Informática Médica em nosso país, que poderão oferecer estágios e cursos, formais e informais. O Hospital das Clínicas da USP, em São Paulo, tem o único curso de residência em Informática para médicos, orientada especialmente para a Informática Hospitalar, com quatro vagas por ano. Oferecem estágios, entre outros, os seguintes grupos: o Núcleo de Informática Biomédica da UNICAMP, a Disciplina de Informática Médica das Faculdades de Medicina da USP (São Paulo e Ribeirão Preto), o Centro de Informática em Saúde da Escola Paulista de Medicina, o Setor de Informática Médica do Instituto do Coração da USP, os Núcleos de Informática em Saúde da UFMG (Belo Horizonte e Uberlândia), o Núcleo de Informática Médica da Faculdade de Medicina da UFRGS (Porto Alegre), o Programa de Engenharia Biomédica da COPPE (UFRJ, Rio de Janeiro), etc. Quanto aos cursos de pós-graduação em senso estrito (mestrado e doutorado), eles ainda não existem no Brasil, na área de Informática Médica, mas pode-se desenvolver teses voltadas à esta área em cursos correlatos oferecidos por várias instituições acadêmicas, tais como em Engenharia Biomédica (por exemplo, a UNICAMP, a UFRJ, a UFSC em Florianópolis e a UFPb em João Pessoa tem vagas para essa área). A vantagem de fazer um curso de pós-graduação em uma universidade é que você terá acesso a diversos outros cursos fora da área médica, tais como processamento de imagens, Inteligência Artificial, enge-nharia de software, etc., que contribuirão para seu aperfeiçoamento.

Outra boa sugestão para "testar" sua vocação para a Informática Médica, sem necessidade de assumir maiores compromissos, é participar do curso de férias (Curso de Capacitação Docente em Informática em Saúde) que o Núcleo de Informática Biomédica da UNICAMP oferece anualmente, na primeira quinzena de janeiro. Este curso dá uma visão prática e teórica bastante abrangente da Informática aplicada a Saúde, e se destina preferencialmente aos profissionais da saúde que gostariam de ser professores de cursos na área. Em janeiro de 1994 será oferecido o V Curso de Verão e as inscrições já estão abertas (aguarde notícia no próximo número de Informédica.

Se quiser ler mais sobre a Informática Médica e suas áreas de atuação, recomendamos o excelente livro-texto de Shortliffe e colaboradores: "Medical Informatics", da editora Addison-Wesley, 1990.


Voltar HomePage Voltar ao Índice de Consultorias Enviar email p/o Editor
Copyright (c) 1995 Renato M.E. Sabbatini